segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Os cilindros do motor


Os cilindros são geralmente de ferro fundido, uma vez que a fundição fácil permite obter as mais variadas formas para o bloco do motor, para as câmaras e água, para a sede das válvulas e para os canais de admissão e escape. Algumas fundições atuais contêm uma pequena proporção de cromo, para aumentar a resistência dos cilindros ao desgaste. A presença de níquel e de magnésio modifica a estrutura molecular da grafita na fundição e favorece a durabilidade do motor.


Alguns blocos de motores são de liga de alumínio com cilindros de fundição especial ou de aço cromado.


Revestindo os cilindros de alguns motores existem as camisas, que podem ser classificadas em secas e úmidas (ou molhadas). Esta camisa é o revestimento do cilindro no bloco para que o pistão não o desgaste durante a realização de trabalho. Camisas secas são aquelas em que sua superfície exterior não está em contato com a câmara de arrefecimento. Elas devem ser bem apertadas para facilitar a transmissão de calor. Úmidas são as camisas que fazem parte da parede interna das galerias de refrigeração. Neste caso, o seu colarinho deve ser perfeitamente vedado para evitar uma infiltração e água no cárter do motor.



Cilindrada


Classificamos um motor à combustão interna pelas medidas dos seus cilindros e pelo curso dos pistões, ou seja, pela sua cilindrada. Esta cilindrada representa o volume total expulso pelos pistões e, logicamente, por ser um volume, é apresentada em litros ou unidades cúbicas de comprimento (cm³).


Sendo assim, quando dizemos que uma motocicleta tem 250cm³ de cilindrada, queremos dizer o volume do seu cilindro, admitindo-a como um veículo monocilíndrico, é 0,250l ou 250ml, e um carro que tem um motor 1.4 pode ser reconhecido como um veículo cujo somatório dos volumes de seus cilindros tem 1,4 litros de capacidade 1400cm³ de cilindrada, lembrando o seguinte, a maioria destes valores são aproximados, quase sempre para um número maior, por mera estratégia de marketing.


Desgaste dos cilindros


O funcionamento do motor leva a um desgaste progressivo dos cilindros. Este desgaste é irregular e dá ao cilindro uma aparência levemente ovalizada e cônica. O maior desgaste encontra-se no PMS, uma vez que a lubrificação neste ponto é normalmente menos eficiente do que nos demais, e a temperatura e a pressão acusam valor máximo quando o pistão encontra-se neste ponto. No PMI as condições internas são exatamente opostas e o desgaste é quase nulo. A ovalização dos cilindros pode ter como causa a obliqüidade da biela, já que aproximadamente no meio do curso do pistão, ela o força a se apoiar contra o cilindro. O desgaste dos cilindros de um motor à explosão é, em grande parte, devido aos arranques com o motor frio. A condensação de gasolina e a insuficiência de entrada de óleo fazem com que durante os primeiros instantes de funcionamento os pistões funcionam quase completamente a seco.


Cilindros muito desgastados elevam o consumo de óleo e combustível, geram um depósito de poeira nas velas, aumentam o ruído do motor e consequentemente diminui sensivelmente a potência. O desgaste é inerente ao uso de qualquer produto, mas quando chega a um certo limite, faz-se necessário uma providência, que neste caso é a retífica do bloco do motor nos cilindros. O limite neste caso específico é de 3% do diâmetro original, ou seja, num motor com um cilindro que veio de fábrica com 80 mm e após determinado tempo de uso passe a estar com 82,4 mm, recomenda-se a retífica. Em geral não se faz mais do que 3 retificações no mesmo motor, porque ele vai perdendo gradualmente suas características iniciais e o seu rendimento. Motores de cilindros com camisas nunca são retificados, é extremamente mais fácil e prático substituir as camisas.


Nos veículos modernos, um motor de pequena cilindrada funcionando em regime elevado (6000 rpm) e frequentemente a plena potência, permite percorrer cerca de 80000 quilômetros sem ter necessidade de uma retífica, já os motores de maior cilindrada (2500cm³ ou mais), sendo utilizados a plena potência somente algumas vezes podem percorrer de 120000 a 150000km antes da primeira retífica.

4 comentários

Gaia disse...

Nossa, percebe-se que realmente você deve amar automóveis sem falar que pelas explicações e videos deve entender e gostar do que faz. Carros hj em dia não é só questão de ser um automóvel para se deslocar, mas também um objeto de charme, de sofisticação e até de luxo em aloguns modelos. esses dias estava assistindo o jornal e estava falando sobre a feira de carros acho que na França, nossa cada modelo barbáro, vc poderia postar algumas imagens dos novos automóveis lançados. :)

Obrigada por ter visitado meu Blog, até a próxima! ;D

Jaque de Barro´s disse...

bOM SABEr desse blog!
Sou leiga qt à carros.
caso precise, já tenho onde recorrer!
Muito Bom!
=)

Picolé de Chuchu disse...

Cara que blog foda...

http://wwwpicoledechuchu.blogspot.com/

Passa lá!!

Piá disse...

Um carro de menor cilindrada anda muito, mas muito mais que 80000km antes da primeira retífica...

Alguns táxis, com a devida manutenção, duram mais de 250000km devido entre outros fatores ao óleo do motor estar sempre quente...

Postar um comentário